O Problema do Espiritismo Kardecista Sob Ótica da Filosofia da Ciência de Kuhn

No segundo tomo do Livro Alvíssara em Nome do Pai, o Alvissarismo propõe que, no que se refere ao trabalho de Kuhn, o Espiritismo permanece no estágio pré-paradigmático, que é o estágio embrionário e um campo de conhecimento em vias de se tornar uma ciência. Este estágio é caracterizado pela atividade exercida por uma comunidade científica antes da aquisição de um pardigima, estágio ao qual o Espiritismo não alcançou, já que, o paradigma, segundo Kuhn, é um conjunto de crenças, regras, compromissos e valores que são compartilhados pelos cientistas por um determinado período de tempo e que confere à sua atividade investigativa a unidade mínima que lhe permite constituir uma comunidade científica. Se assim compreendemos o paradigma, o estágio pré-paradigmático no qual se enquadra o Espiritismo, deve ser, portanto, caracterizado por momentos em que uma determinada ciência é praticada sem que haja consenso entre os cientistas sobre quais devem ser as crenças, regras, compromissos ou valores que deverão ser aceitos por todos com a finalidade de promover o progresso daquela ciência. Este é, pois, o estágio ao qual o Espiritismo, por ser um misto de Filosofia e Religião, permanece, sem ter condições de chegar a se constituir como um verdadeiro paradigma, isto é, sem possuir o caráter de uma verdadeira ciência, mas apenas o caráter de uma pseudociência. O que caracteriza a Filosofia, a Religião e a Pseudociência é o fato de elas não conseguirem ultrapassar o estágio pré-paradigmático do desenvolvimento da Ciência; e o que diferencia a Filosofia, a Religião e a Pseudociência é o fato de a Filosofia e a Religião não possuirem a pretensão de ultrapassar o estágio pré-paradigmático, enquanto que a Pseudociência, mesmo no fundo sabendo não possuir capacidade para ultrapassar este estágio, ainda assim afirma pretensiosamente a possibilidade de ultrápassá-lo e chegar ao estágio paradigmático, tornando-se frustrada por não conseguir alcançar o seu objetivo de ser uma Ciência e ao mesmo tempo não ter a humildade de reconhecer não ser uma Ciência. O problema do Espiritismo Kardecista é que ele pretende ser uma coisa que não é, ou seja, uma Ciência, e nega ser uma coisa que é, ou seja, uma Religião.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s