A Lei do Tempo Lógico

No Livro Lógica Alvissarista o Alvissarismo propõe que há uma relação estrutural entre o passado, o presente e o futuro, onde o passado (+ +) está contido no presente (+ – ou – +) e o presente contido no futuro (- -), de tal modo, que a mínima mudança em um desses tempos causaria uma mudança em todos os outros. É graças a essa estrutura temporal que liga o passado no presente e o presente no futuro, não podendo haver trocas diretas entre o passado e o futuro ou entre o futuro e o passado sem antes perpassar pelo presente, que reconhecemos a existência de uma lei lógica designada de lei do tempo lógico, que proíbe a troca direta entre sentenças do passado e sentenças do futuro numa mesma proposição sem antes perpassar por sentenças do presente, posto que a transgressão da lei do tempo lógico constitui um juízo sempre falso, sem sentido e ilícito, como vimos anteriormente. A lei do tempo lógico descoberta aqui se resume na seguinte proposição: “Não é possível que, numa mesma proposição, haja troca direta entre sentenças do passado e sentenças do futuro sem antes perpassar por sentenças do presente”. Trocas diretas entre sentenças do passado e sentenças do futuro numa mesma proposição constituem necessariamente uma frase sempre falsa, sem sentido lógico e epistemologicamente ilícita, como é o caso da proposição “O vento derrubou a casa, mas o vento derrubará a casa” ou “O vento derrubará a casa, mas o vento derrubou a casa”.

A lei do tempo lógico que apresentamos está diretamente relacionada a semântica dos mundos possíveis de Saul Kripke, onde um mundo é acessível a outro se e somente se o anterior for possível a ele (ou do ponto de vista dele), isto é, um mundo só é acessível ao mundo atual se este for uma verdade, ao menos possível, no mundo atual; isto é o mesmo que dizer que um instante no tempo (o passado) é acessível a outro instante no tempo (o futuro) se e somente se o instante anterior for possível a ele no presente. Esta é a condição sine qua non para que um mundo (ou um instante no tempo) seja acessível a ele mesmo. A lei do tempo lógico também está diretamente relacionada ao paradoxo de Russel e “o conjunto de todos os conjuntos que não se contêm a si próprios como membros”, bem como está diretamente relacionada ao princípio da incerteza de Heisenberg, onde é impossível se calcular a posição e a velocidade de um eletron no mesmo instante, assim como está relacionado ao teorema da incompletude de Gödel, onde “qualquer teoria axiomática recursivamente enumerável e capaz de expressar algumas verdades básicas de aritimética, não pode ser, ao mesmo tempo, completa e consistente. Ou seja, sempre há em uma teoria consistente proposições verdadeiras que não podem ser demonstradas nem negadas”, isto é, “uma teoria, recursivamente enumerável e capaz de expressar verdades básicas e alguns enunciados da teoria da prova, pode provar sua consistência se, e somente se, for inconsistente”. A lei do tempo lógico produz histórias consistentes que podem ser descritas pelas probabilidades de cada evento acontecer ou não, obedecendo as leis da probabilidade clássica.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s